A regra 80-20 / The 80-20 rule

80-20 rule_1Recentemente decidi adoptar a regra 80/20 em relação à minha alimentação. Para quem não conhece, esta regra, também conhecida como Lei ou Princípio de Pareto, afirma que em muitos acontecimentos, 80% das consequências advêm de 20% das causas. Esta regra é muito utilizada em economia, onde por exemplo, se estima que 80% da riqueza de um país é controlada por 20% da população. E também no mundo dos negócios, onde por exemplo no caso de muitas empresas, se estima que 80% das de uma empresa provêm de 20% dos seus clientes.No

que respeita à alimentação, esta regra consiste em ter uma dieta saudável a 80%, com os restantes 20% a deixarem possibilidade para comermos alimentos menos saudáveis. Depois de passar por vários períodos na minha vida em que fui completamente estrita no tipo e qualidade de alimentos que ingeria, percebi, que não consigo, nem quero levar esse tipo de alimentação 100% saudável todo o tempo. Principalmente porque devido ao meu historial de distúrbios alimentares, ainda tenho muito a tendência de recorrer à comida em alturas de maior ansiedade e/ou stress, e acabo por ter medo de aumentar de peso por causa disso. Por isso decidi experimentar a regra dos 80-20 para ver como corria, para perceber se resultava a não me sentir muito culpada cada vez que comia um alimento menos saudável.

Confesso que no início foi difícil deixar-me ir, digamos assim. Mas com o tempo percebi que este modo de encarar a alimentação me dá muito mais liberdade e até leva a que tenha uma melhor relação com a comida. Se me apetece pizza, como. Se me apetece uma bola de berlim na praia, como. Já sei que às vezes é provável que o meu corpo não fique muito contente com o resultado, pois tenho sempre dificuldade em digerir estes alimentos mais processados, mas sei que a minha mente vai ficar mais descansada por também satisfazer alguns desses desejos! O importante é comer com total presença e atenção, de uma forma ‘mindful’.

Esta regra acaba por ser muito semelhante ao que alguns nutricionistas defendem num regime de dieta, que é fazer uma “asneira” por semana! A ideia no fundo, é que haja sempre um pequeno espaço, uma permissão para que nos possamos satisfazer com algo que idealmente não deveríamos comer sem nos sentirmos culpadas. O segredo está sempre na conta e medida. Tudo em excesso faz mal (mesmo alguns alimentos saudáveis) e para muitas pessoas, como eu, uma dieta 100% saudável e restritiva não é a melhor forma de realmente atingir o bem-estar.

 

80-20 rule_2Recently I decided to adopt the 80/20 rule to my diet. For those of you unfamiliar with this rule, it is also known as Law or Pareto Principle and it says that in many events, 80% of the consequences stem from 20% of the causes. This rule is widely used in economics, where for example, it is estimated that 80% of the wealth of a country is controlled by 20% of the population, or in the business world, where for example in the case of many companies, it is estimated that 80% of the revenue comes from 20% of your customers.

When it comes to diet, this rule means that we eat healthy 80% of the time, with the remaining 20% of less healthy foods. After going through several periods in my life when I was quite strict on the type and quality of food I ate, I realized that I can not, nor want to take that kind of 100% healthy diet all the time. Mainly because due to my history of eating disorders, I still have a tendency to turn to food in times of increased anxiety and / or stress, and I end up being afraid to gain weight because of it. So I decided to try the 80-20 rule to see if I would not feel so guilty every time I ate a less healthy food.

I confess that at first it was hard to let go, so to speak, of my control freak mind. But over time I realized that this way of looking at food gives me a lot more freedom and even leads to a better relationship with food. If I feel like pizza, I will have it. If I feel like one sugar coated ‘bola de berlim’ on the beach, I will have it. I know that sometimes my body is not too happy with the result because I always have difficulty digesting these more processed foods, but I know that my mind will become rested! The important thing is to eat with full presence and attention in a ‘mindful’ way.

This rule turns out to be very similar to what some nutritionists advocate in a diet regimen, which is to indulge in something you crave once a week! The idea behind this is to create a small space, a permission so that we can eat a less healthy food without the feeling of guilt. The secret always lies in the account and measure. Everything in excess is bad (even some healthy foods) and for many people, like me, a 100% healthy and diet is not the best way to truly achieve well-being.

You may also like

Leave a comment